quinta-feira, 22 de maio de 2008

Cabeça de empresário

( Revista VOCESA de maio de 2008 - Carreira - empreendedorismo - jornalista Gabriel Penha)

"Cada vez mais empresas incentivam seus funcionários a procurar novos negócios e inovar. Saiba como desenvolver o seu espírito empreendedor para proveitar as oportunidades."

RESUMO DA MATÉRIA: cita o exemplo de Allan Cury Martins, gerente de produto da companhia petroquímica Braskem, que teve a missão de encontrar novos mercados para uma resina ultra-resistente da companhia, resultando em instalar o plástico em caçambas de caminhões, para protegê-las do impacto da carga. Fez negociações com a transformadora da resina, com o fabricante de caçambas e com as construtoras e mineradoras. Conseguiu convencer a todos e assim as vendas cresceram 15% em seis meses. Allan recebeu o prêmio de destaque do ano da empresa e foi promovido a gerente comercial para Europa e América Latina.
Na Brakem, os funcionários têm autonomia para tomar decisões sem pedir autorização para os chefes, acreditando que isso aumenta o grau de envolvimento das pessoas no negócio, e isto na prática visa estimular quem tem veia empreendedora, como Allan. Outras empresas como 3M, Algar e Votorantim valorizam essa qualidade, já na Vale, o perfil empreendedor é pré-requisito para recrutar os jovens no programa global de traineee. Essas organizações buscam e estimulam o chamado empreendedorismo interno, visto que há pouco tempo este tipo de profissional saía da corporação e abria seu próprio negócio.
Uma pesquisa da consultoria DBM, de São Paulo, apontou essa tendência em 2006. Das três habilidades comportamentais mais valorizadas - adaptação, independência e comunicação - as duas primeiras são típicas do empreendedor corporativo.

Transforme seu perfil e enfrente a burocracia: mesmo quem não é empreendedor nato pode absorver as caracteristicas de um para se desenvolver profissionalmente, primeiro é preciso ter idéias e estar preparado para defendê-las. Um empreendedor corporativo muitas vezes tem que quebrar regras ou, pelo menos, questioná-las para levar adiante um projeto. Porém, muitas vezes, a vontade do empreendedor esbarrará na burocracia e na rigidez das organizações, sendo importante conhecer o terreno que está pisando.


Comentário sobre a matéria: Achei o tema bastante interessante e a matéria foi muito bem desenvolvida, visto que o jornalista primeiramente cita um exemplo de um executivo novo e se torna bem sucedido na organização em razão da sua capacidade de transformação e pela sua habilidade em buscar novos negócios, principalmente na busca de parcerias para o produto ao qual tinha que encontrar novos mercados. Fala também de outras empresas que valorizam também o espírito empreendedor, citando as características principais para quem vai entrar no mercado de trabalho. Para se obter sucesso em uma organização é preciso ter um jogo de cintura e liberdade de ação, que são características comuns e obrigatórias a todos os empreendedores. Apresenta também um quadro das habilidades comportamentais que fazem a diferença na contratação de executivos: comunicação, adaptação, independência, ansiedade sob controle, criatividade e liderança.
O jornalista é bem conservador em suas considerações, elucidando seu ponto de vista, e esclarecendo as tendências com dados concretos como crescimento das vendas, pesquisas de consultoria e outros mais. O tema é muito importante para o nosso curso visto que são abordados conceitos ligados às matérias que foram estudadas e fazem parte do currículo.



2 comentários:

emerson disse...

A reflexão do Alaor demonstra uma excelente capacidade de análise de texto, uma vez que não deixa de notar o conservadorismo do autor da matéria. Soube observar a solidez da matéria demonstrando que a opinião do autor tinha embasamento. É de se destacar, também, o apontamento de que a matéria tem grande utilidade para os estudantes de Administração. Apesar de não ser nada que diminua a qualidade da reflexão, senti falta de ver transparecer a opinião do Alaor sobre o assunto. Emerson (aluno da Adm.Ead, turma 12)

Empreendedorismo - Alaôr José disse...

Agradeço o comentário do meu colega Emerson e que o seu feedback vem me ajudar em muito nos meus próximos comentários, visto que faltou mesmo a minha reflexão sobre o assunto. Posso dizer que acredito muito na capacidade das pessoas em criar novos projetos e também que as empresas que apostam em seus funcionários ganham muito porque principalmente hoje para encontrar um profissional qualificado a empresa tem um grande custo para buscá-lo no mercado.